Forte Mourao Seguros
 
 


Entre os elementos-chave no combate à fraude em Seguros, há a questão do esclarecimento de conceitos:

Definição de fraude em Seguros

Fonte/Autor

"Tentativa deliberada de um segurado de requisitar o pagamento de sinistro (total ou parcial) sem que as ocorrências previstas na apólice para tal requisição tenham acontecido."

 

M.Martin Boyer, Universidade de Montreal
Canadá

 

"Fraude é enganar a seguradora para obter ganho financeiro ou contratar apólice de seguros."

 

Association of British Insurers (ABI) UK

 

"Qualquer representação falsa feita por uma pessoa requisitando pagamento de sinistro ou subscrevendo uma apólice."

 

New Hampshire Department of Justice USA

 

"Fraude é qualquer ato enganoso deliberado perpetrado contra ou pela companhia seguradora, corretor, prestador de serviço ou segurado com o propósito de obter ganho financeiro não garantido. A fraude ocorre durante o processo de contratação e utilização do seguro."

 

Insurance Fraud Inc.
USA

"Qualquer conjunto de artifícios com o fim de receber uma indenização a que de outro modo não se teria direito, independentemente da maneira como tal efetivamente se apresente."

 

Machado, Meyer, Sendacze e Opice Advogados

 

  Fonte: Fenaseg

O sistema nacional de seguros ano-a-ano sofre com fraudes, e esta conta acaba sendo paga pelo próprio consumidor, pois na medida em que aumenta a ocorrência de fraude aumenta também o custo do seguros.

As fraudes mais comuns são as seguintes:

  • Favorecer ou facilitar de alguma forma o acontecimento de um sinistro para receber a indenização ou qualquer outro beneficio indevido.
  • Fazer acordos com operadores/fornecedores para que sejam cobrados procedimentos ou serviços não realizados/prestados ou indevidos.
  • Denunciar sinistros não acontecidos para favorecer o ressarcimento próprio ou de terceiros.
  • Declarar modalidades de acontecimento de um sinistro diferentes das reais ou ocultar/omitir informações vitais para a correta definição de um sinistro.
  • Fazer falsas declarações ou omitir situações de agravamento de risco preexistentes ao contratar um seguro.
  • Emprestar a carteira pessoal do seguro ou plano de saúde para uso de terceiros.
  • Falsificar documentos ou provas para conseguir um ressarcimento indevido ou para favorecer o ressarcimento de terceiros.

Alguns podem até pensar que seja uma coisa quase normal tentar receber mais do que o devido das seguradoras através de artimanhas, falsas declarações, sinistros forjados etc. É porém, importante lembrar que estas práticas constituem crimes e podem levar à cadeia. É importante pensar duas vezes, se a pequena vantagem econômica derivante da fraude vale o risco de ser condenado criminalmente.

Atualmente, existem empresas de investigação e detecção de fraudes, que combatem tais práticas e são muito eficazes. As seguradoras costumam contratar os serviços destas empresas quando recebem pedidos de indenização que julgam suspeitos. Exite uma tendência mundial, no setor de seguros, de melhorar a eficiência no combate às fraudes.

Situação geral e estatísticas das fraudes em seguros:

No mundo inteiro o fenômeno das fraudes, em seguros, é considerado um problema relevante e extremamente atual. Não existe país onde estas práticas não estejam presentes, porém existem países mais eficazes que outros no combate as fraudes em seguros.

Em nível global, os principais ramos de seguros afetados por fraudes são os seguintes:

  • Carros (Roubo e Incêndio).
  • Carros (Acidentes/Casco e RC).
  • Transportes.
  • Property (Incêndio).
  • Saúde.
  • Acidentes Pessoais.
  • Vida.
  • Responsabilidade Civil.
  • Turismo.

Estes ramos podem tem incidências bem diferentes de país a país, em função de vários fatores. Na Austrália, por exemplo, o ramo com o maior número proporcional de fraudes é o ramo de seguros de turismo. Já na França o ramo mais fraudado é o de incêndio de carros, enquanto que na Itália é o ramo de acidentes de carro.

No Brasil, a situação está longe de ser claramente definida, existem porém, algumas estimativas de mercado que apontam para os seguintes números e dados:

  • R$ 4 a 5 bi de fraudes em sinistros.
  • 25 a 30% dos sinistros ligados a fraude.
  • Setores mais atingidos: Auto (Acidentes, Roubo e Incêndio) e Saúde.
  • 70% das fraudes em seguros auto.
  • 40 a 45% das fraudes cometidas pelo segurado/beneficiário, 25% cometidas pelos corretores e o restante dividido em partes quase iguais entre funcionários e prestadores de serviços.
  • 78% das fraudes acontecem na hora da indenização, 12% na hora da contratação e 10% na hora da regulação.
(Fontes: Dr. Luiz Roberto Castiglione, Seguradoras, Entidades de Classe, Auditorias) 

Parte desse conteúdo foi retirado do site www.fraude.org - O Monitor das Fraudes - Saiba mais sobre fraudes indo até lá.